Gestão e download de NFe, CTe, XML e DANFe. Teste grátis por 7 dias!

FinanceiroGestão

Despesas fixas e variáveis: qual é a diferença?

Saiba o que muda entre esses termos tão comentados!

Quando se fala sobre gestão financeira, as despesas fixas e variáveis estão entre os principais assuntos comentados, ocupando um local de destaque no orçamento, nos relatórios e também nas conversas entre os profissionais dessas áreas.

Mesmo que você não seja um especialista financeiro, é importante entender o que significam essas despesas e em que elas diferem, de modo a saber o que pode ser feito para reduzi-las em sua empresa.

Sem mais delongas, vamos aprender o que significa esse conceito e qual é a importância de ter esse conhecimento para proceder da maneira certa com as finanças corporativas.

O que são despesas fixas e variáveis?

São os gastos que existem na empresa divididos de acordo com suas características, divisão essa que é importante para classificá-los e, além disso, lidar com eles de maneira diferente.

Merecidamente, eles estão entre os principais termos financeiros e precisam ser compreendidos em sua essência para que a companhia proceda adequadamente com o assunto. A definição de cada um deles é a seguinte:

Despesas fixas

Como é possível perceber pelo nome, as despesas fixas correspondem àquelas que sempre existem na companhia, independentemente de qual seja a sua produção naquele mês ou os resultados obtidos pela empresa.

Seja em períodos sazonais ou não, com um maior ou menor número de colaboradores, em períodos de recessão econômica ou épocas de maior poder aquisitivo, as despesas fixas não deixam de existir.

Outra característica comum dessas despesas é que seu valor não costuma mudar muito, exceto em casos em que o tamanho da equipe muda ou quando o consumo de energia elétrica ou de água é muito maior, por exemplo.

Despesas variáveis

Por outro lado, as despesas variáveis são aquelas que variam de acordo com a produção da empresa, o que explica sua inconstância entre os meses.

Quando a produção está em alta, é preciso comprar mais matéria-prima para entregar o que foi solicitado pelos clientes, o que por sua vez aumenta os custos da empresa para aquele mês, ao mesmo tempo em que a rentabilidade também tende a aumentar.

Ainda que sejam despesas variáveis, elas também estão presentes todos os meses e devem ser analisadas com cuidado para não pegar os gestores e diretores de surpresa.

Despesas fixas e variáveis exemplos: entenda melhor o que elas significam

A definição ajuda a ter uma ideia do que elas querem dizer, é verdade, mas quando se fala sobre despesas fixas e variáveis exemplos deixam a ideia ainda mais clara e ajuda a eliminar as dúvidas relacionadas ao assunto.

Exemplos de despesas fixas:

  • Faturas de telefone e internet;
  • Aluguel do espaço físico;
  • Seguro;
  • Salários dos funcionários;
  • Honorários do contador;
  • IPTU;
  • Despesas com automóveis, como combustível e IPVA.

Exemplos de despesas variáveis:

  • Matéria-prima;
  • Comissões sobre as vendas;
  • Manutenções em máquinas e equipamentos da empresa;
  • Impostos sobre os produtos e mercadorias adquiridos;
  • Fretes pagos pelas entregas para os clientes;
  • Contas de água e de luz (cujo valor pode variar de acordo com a produção);
  • Embalagens dos produtos comercializados.

O que fazer para reduzir as despesas fixas e variáveis?

Como pôde ser visto, tanto na gestão de micro e pequenas empresas quanto nas de maior porte, ambos tipos de despesas sempre estarão presentes, mas o seu valor pode variar para mais ou para menos. Por isso, é essencial saber o que fazer para conseguir reduzi-las.

As melhores dicas para atingir essa economia são as seguintes:

Revise as despesas fixas

Como elas aparecem todos os meses e não variam tanto assim, é importante parar para analisar tudo o que é contemplado pelas despesas fixas e considerar o que pode ser reduzido.

Por exemplo, pode-se procurar um espaço físico menor ou localizado em uma região mais barata para economizar no aluguel, no seguro e no IPTU, bem como analisar as despesas com telefonia para escolher planos que sejam viáveis às reais necessidades da companhia.

Mesmo que a redução pareça pequena, ela se aplicará a todos os meses, o que resulta em uma economia importante para a saúde financeira da empresa.

Prepare-se para a variação das despesas variáveis

Precaução nunca é demais, e quando se fala sobre despesas fixas e variáveis, a importância é ainda maior. Por isso, é fundamental se precaver principalmente para a variação de despesas variáveis.

Com a maior demanda pelos produtos ou serviços da empresa, esses gastos podem aumentar, e é fundamental que a companhia disponha do valor em caixa para que possa investir na matéria-prima necessária, já que os pagamentos nem sempre são compensados na hora.

Por isso, aqui aplica-se uma das principais dicas de gestão de riscos financeiros, que é a existência de um fundo emergencial para a empresa. Assim, haverá uma verba disponível para cobrir tais gastos sem prejudicar a saúde das finanças.

Acompanhe todas as despesas de perto

As despesas fixas e variáveis existem e devem ser acompanhadas com total cautela pelos colaboradores responsáveis, pois mesmo que não possam ser previstas com total exatidão, é possível fazer estimativas para evitar ser pego de surpresa.

Analise as despesas dos últimos 6 ou 12 meses, some todas elas e divida pelo número de meses, de modo a ter uma média de quanto se gasta. Além disso, preste atenção em períodos sazonais, veja se os valores mudam muito e já se prepare para quando o momento chegar.

Pode ser um pouco difícil fazer isso em um primeiro momento, mas assim que a primeira organização for feita, as demais poderão ser realizadas de forma mais simples.

Domine as despesas fixas e variáveis!

Há uma série de desafios envolvidos na gestão de empresas, e a compreensão de suas despesas é um dos principais. Por isso, é importante dedicar seu tempo e esforços para compreender o assunto e saber lidar bem com ele.

A Serasa Experian divulgou, em março de 2018, que aproximadamente 5,4 milhões de empresas estão inadimplentes, número que aumentou 9,3% em relação a março de 2017, ou seja, os problemas financeiros infelizmente tendem a crescer, os quais podem ser causados pela falta de organização financeira.

Assim como o GeminusCare é um software de gestão fiscal fundamental para essa área, os conhecimentos obtidos sobre despesas fixas e variáveis e a aplicação das dicas citadas pode mudar a realidade financeira da sua empresa para muito melhor e garantir que ela consiga se desenvolver em um mercado tão competitivo!

Related posts
FinanceiroMotivação

O sucesso financeiro é possível! Saiba como conquistar

Gestão

Como contratar um funcionário e acertar em cheio?

GestãoProdutividade

Como acabar com os problemas de comunicação nas empresas?

FinanceiroGestão

Como aumentar o lucro da empresa? Confira as melhores dicas!

Inscreva-se em nossa Newsletter e
fique informado

 


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *