Gestão e download de NFe, CTe, XML e DANFe. Teste grátis por 7 dias!

FinanceiroGestãoLegislação

Elisão fiscal: corte custos na sua empresa inteiramente dentro da lei!

Descubra como é possível economizar em sua empresa através de alternativas legais e eficientes.

O corte de custos é uma das necessidades mais comuns nas empresas, já que aumentar os lucros sempre estará entre seus principais objetivos, e a redução de despesas é uma forma de alcançar esse objetivo, o que também pode ser feito através da elisão fiscal.

Esse é um termo que soa complicado, cuja execução precisa ser feita com muito cuidado para evitar problemas, mas quando colocado em prática da maneira certa, pode resultar em benefícios nítidos dentro de um curto período de tempo.

Aprenda exatamente do que se trata essa prática, como ela pode ser aplicada em sua empresa e quais são os potenciais benefícios obtidos por ela.

Elisão fiscal conceito: o que é isso?

É uma conduta pertencente ao planejamento tributário que visa fazer com que o contribuinte reduza sua carga de impostos o máximo possível, de modo que obtenha uma economia considerável. Ela é totalmente lícita e pode ser adotada por qualquer empresa.

Uma pesquisa da Serasa Experian, feita em dezembro de 2018 com micro e pequenos empreendedores, mostrou que 45% dos entrevistados têm dificuldades em controlar as finanças. Isso mostra que a gestão de micro e pequenas empresas precisa lidar com esse problema, embora este não seja exclusivo a elas.

Outra pesquisa da Serasa Experian, com dados referentes a março de 2018, mostrou que há 5,4 milhões de empresas inadimplentes em todo o Brasil, entre as quais também se enquadram as de maior porte, ou seja, o problema é comum no meio empresarial.

Ao pesquisar sobre elisão fiscal significado desse termo chama a atenção de todos os empreendedores, o que é compreensível, já que ele permite obter uma economia considerável através de alternativas que seguem às determinações legais.

Através da elisão fiscal, a carga tributária de uma empresa pode ser drasticamente reduzida sem impactar em suas atividades, mas para isso é essencial conhecer as diferenças para a evasão fiscal, termo parecido, mas com significado bem distinto.

Quais são as diferenças entre elisão e evasão fiscal?

Elisão e evasão fiscal são dois conjuntos de estratégias e aplicações que visam reduzir a carga tributária de uma empresa, mas a grande diferença é que a primeira é autorizada pela lei, enquanto a segunda não.

Por exemplo, a sonegação de impostos enquadra-se como evasão fiscal, já que a empresa deixa de pagar os tributos a ela devidos, o que é ilegal. Caso alguma companhia proceda dessa forma, ela estará indo contra a lei.

Já ao entender melhor sobre elisão fiscal significado e execução, é possível perceber que nenhuma de suas estratégias fere a lei, embora haja uma linha tênue que a separa da evasão. Portanto, o assunto deve ser estudado e encarado com máxima atenção e embasamento legal.

Elisão fiscal exemplo: como colocá-la em prática na empresa?

Quem deseja colocar esse conceito em prática mas não abre mão de saber como evitar problemas fiscais poderá compreender melhor o assunto através de exemplos práticos, os quais podem guiá-lo na tomada de decisões para a companhia.

Enquadramento no Simples Nacional

O Simples Nacional é um regime tributário especial, mais prático e que ajuda na gestão fiscal de empresas, autorizado pela Lei Complementar nº 123, de 14/12/2006. Sua adoção por parte das companhias que podem fazê-lo é considerada como uma forma de elisão fiscal.

Microempresas (ME) cujo faturamento anual seja igual ou inferior a R$ 360 mil (até R$ 30 mil mensais) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) com receita maior de R$ 360 mil e igual ou inferior a R$ 3,6 milhões (até R$ 300 mil mensais) podem se enquadrar no Simples Nacional e, assim, economizar nos impostos.

É importante se atentar ao disposto na Lei Complementar citada, já que algumas atividades são impedidas de optar pelo Simples, além de comparar a tributação entre os dois regimes, mas vale a pena consultar e ver se a alternativa vale a pena para a sua empresa.

Pagamento dos sócios por distribuição de lucros

Quando se fala sobre elisão fiscal exemplo prático é o pagamento dos sócios através da distribuição de lucros ao invés do pró-labore, o que apresenta uma diferença importante: IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte) e INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) incidem apenas no segundo.

É importante analisar a situação da empresa, já que o pró-labore consiste de um valor fixo, enquanto a distribuição de lucros pode ser variável, mas caso seja viável, escolher a segunda opção isentará a tributação, desde que isso seja demonstrado contabilmente.

Pesquisa pelo menor ISS

O ISS (Imposto Sobre Serviços) é um tributo municipal, ou seja, varia de acordo com cada cidade. Isso quer dizer que a empresa pode buscar por um município cujo ISS seja mais baixo e, ainda assim, estar inteiramente dentro da lei.

Por exemplo, a alíquota do serviço “cessão de andaimes, palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário” (item 3.04 da lista de serviços) é de 2% em Santo André (SP) e de 5% em São Caetano do Sul (SP), duas cidades vizinhas. Logo, para empresas que atuam na área, vale a pena optar pela segunda cidade.

Caso uma empresa do ramo preste um serviço de R$ 50.000 em um mês, o ISS a ser pago em Santo André seria de R$ 1.000, valor que subiria para R$ 2.500 em São Caetano do Sul. Esse é um exemplo claro de que a elisão fiscal realmente pode fazer a diferença para as finanças.

Domine a elisão fiscal e economize em sua empresa!

Depois de aprender exatamente do que se trata a elisão fiscal conceito, aplicações e exemplos, fica evidente que vale a pena dedicar um tempo para estudar sobre questões fiscais, de modo a economizar o máximo com a gestão tributária, sempre dentro das devidas leis.

Caso você não domine o assunto ou não tenha nenhum colaborador especializado na área em sua empresa, vale a pena investir em um serviço de consultoria fiscal e tributária, o qual é capaz de apresentar um excelente custo-benefício para o negócio.

É sabido que as leis tributárias são bem complexas, e da mesma maneira que é importante fazer um controle de notas fiscais eficiente, isso também se aplica à elisão, que nem sempre é adotada pelas empresas, mas apresenta um enorme potencial de economia.

Portanto, invista o que for necessário para um planejamento tributário impecável, com o auxílio de um sistema de gestão fiscal, como o GeminusCare, e também com todas as práticas de elisão fiscal possíveis. Dessa forma, economia e cumprimento das leis andarão de mãos dadas em sua empresa!

Related posts
FinanceiroMotivação

O sucesso financeiro é possível! Saiba como conquistar

Gestão

Como contratar um funcionário e acertar em cheio?

Legislação

Como cancelar nota fiscal eletrônica? Aprenda em 4 passos

GestãoProdutividade

Como acabar com os problemas de comunicação nas empresas?

Inscreva-se em nossa Newsletter e
fique informado

 


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *