Gestão e download de NFe, CTe, XML e DANFe. Teste grátis por 7 dias!

FinanceiroGestão

Gestão de riscos financeiros: o que é isso?

Saiba como lidar com esse assunto fundamental para todas as empresas

Gerir uma empresa envolve uma série de desafios e atividades que devem ser aplicadas diariamente, e um deles nem sempre é comentado, embora seja essencial: a gestão de riscos financeiros.

O assunto pode causar espanto à primeira vista, já que parece algo complicado, mas os gestores devem entender a importância de delegar um tempo para aprender sobre ele e, assim, aplicar as melhores técnicas em seus negócios.

Vamos entender qual é a definição desse termo e o que pode ser feito para que sua empresa lide com os riscos da maneira ideal.

O que é gestão de riscos financeiros?

É a análise e mensuração dos potenciais riscos que podem afetar a parte financeira de uma empresa, de modo a se preparar para sua ocorrência e, assim, evitar consequências mais sérias.

A gestão de riscos é um assunto que vem ganhando importância nos últimos anos, já que as empresas perceberam que estão sujeitas a encarar problemas a qualquer instante e, assim, precisam se preparar para amenizar (ou até evitar) os prejuízos.

Ainda assim, a prática deveria ser mais adotada. De acordo com uma pesquisa realizada pela Marsh Risk Consulting, apenas 36,1% das empresas brasileiras afirmaram que possuem práticas consolidadas e implementadas em seu cotidiano para a gestão de riscos.

Por outro lado, 36,2% afirmaram que realizam pouco dessa atividade ou que estão no início de sua implantação. Logo, é nítido que as empresas que implementarem tais práticas com êxito se destacarão perante a concorrência.

Quais são os riscos suscetíveis às empresas?

A lista é ampla e pode ser respondida com quaisquer chances de ter um resultado negativo ou inesperado. Ações ou atividades que levem a prejuízos podem ser consideradas como riscos.

Há diferentes tipos de risco que podem afetar uma empresa, os quais podem ser classificados, amplamente, de três maneiras:

  • Riscos de negócios: tomados pelas próprias empresas de modo a maximizar seu valor no mercado e os lucros obtidos, como investir mais do que o normal em marketing para o lançamento de um novo produto ou serviço e, assim, aumentar o número de vendas.
  • Riscos não relacionados aos negócios: aqueles que não estão sob o controle da empresa, como os decorrentes de instabilidades políticas e econômicas que afetam o mercado como um todo.
  • Riscos financeiros: como o nome sugere, é o risco que envolve prejuízos financeiros, geralmente causados por instabilidades e perdas no mercado causadas por movimentações nos preços de ações, no valor de moedas e nas taxas de juros, entre outros.

Como proceder com a gestão de riscos em projetos financeiros?

Seja na gestão de micro e pequenas empresas ou nos grandes negócios, a implantação de tais estratégias é fundamental para evitar maiores prejuízos. Boas dicas para proceder de tal maneira na sua empresa são as seguintes:

Considere a contratação de um seguro

O intuito dos seguros é justamente proteger a empresa contra perdas com as quais ela não pode arcar, e não apenas despesas menores, como o conserto de um equipamento eletrônico ou de um automóvel, por exemplo.

Coloque na balança o quanto vale investir em um seguro empresarial, o que pode facilitar bastante a gestão de riscos financeiros através de um investimento que não terá que ser subtraído totalmente da companhia.

Diversifique os investimentos

A diversificação é uma das ferramentas mais importantes no que tange aos investimentos, e embora ela não seja capaz de eliminá-los de uma vez por todas, faz com que os riscos sejam consideravelmente menores.

Ter um portfólio de investimentos balanceado ajuda a minimizar os riscos graças à divisão dos investimentos em diferentes classes, quase como um seguro gratuito para proteger a empresa contra maiores prejuízos.

Evite ter dívidas muito altas

Essa é a situação ideal, embora nem sempre possa ser alcançada, mas na medida do possível, faça com que a sua companhia não tenha dívidas elevadas, já que elas se convertem como despesas fixas e variáveis que podem prejudicar a saúde financeira do negócio.

Pode ser necessário pegar um empréstimo no banco ou com instituições financeiras em determinados momentos, principalmente nas crises. Porém, sempre que sobrar algum dinheiro, tente abater um valor adicional das despesas, o que facilitará a gestão de riscos financeiros no futuro.

Tenha cuidado redobrado com a gestão fiscal

Quem deseja ter uma gestão de riscos em projetos exemplar certamente deve delegar cuidados à parte fiscal, a qual pode trazer grandes problemas quando não é realizada da maneira correta.

A elisão fiscal pode ser considerada como uma estratégia que visa amenizar riscos financeiros, já que busca o que pode ser feito para pagar menos sem abrir mão de cumprir com suas obrigações perante as leis.

Porém, quando o processo não é realizado adequadamente, a empresa pode realizar crimes fiscais mesmo sem ter tido a intenção de cometê-los, o que trará burocracia, problemas com as leis e também a possibilidade de ter que gastar ainda mais.

Por isso, a gestão fiscal se mostra como uma poderosa aliada da gestão de riscos quando feita adequadamente, enquanto sua ausência ou realização de maneira equivocada pode colocar a empresa em uma posição bem desfavorável.

Gestão de riscos financeiros: é melhor prevenir do que remediar

Esse é um antigo ditado, mas que se aplica perfeitamente aos processos de gestão adotados para evitar os riscos financeiros, os quais podem resultar em sérios prejuízos para as empresas.

De acordo com a pesquisa que vimos anteriormente, menos de 4 a cada 10 empresas possuem processos consolidados e bem definidos de gestão de riscos, indicativo que acende um sinal de alerta para as companhias que não se encaixam na estatística.

É praticamente impossível evitar todos os riscos, já que alguns deles não estão relacionados à empresa, mas sim às condições políticas e econômicas e às próprias movimentações do mercado, que nem sempre podem ser previstas.

Porém, em contrapartida, quem se organiza com o intuito de minimizar os riscos tende a lidar muito melhor com eles quando se apresentarem, o que influencia diretamente na saúde da empresa e em sua manutenção no mercado.

Dedique tempo e esforço para a gestão de riscos financeiros através da contratação de um seguro, do planejamento financeiro e de uma gestão fiscal organizada, o que pode ser feito com o auxílio do GeminusCare. Assim, a companhia estará bem preparada para minimizar seus prejuízos!

Related posts
FinanceiroMotivação

O sucesso financeiro é possível! Saiba como conquistar

Gestão

Como contratar um funcionário e acertar em cheio?

GestãoProdutividade

Como acabar com os problemas de comunicação nas empresas?

FinanceiroGestão

Como aumentar o lucro da empresa? Confira as melhores dicas!

Inscreva-se em nossa Newsletter e
fique informado

 


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *